quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

"O Tempo e o Vento" retorna magistral no Canal VIVA

A minissérie baseada na obra do excelente escritor Érico Veríssimo (pai do também escritor Luis Fernando Veríssimo), volta à telinha. O Canal VIVA, que tem brindado o telespectador com grandes reprises (atualmente reapresenta também a novela "Roque Santeiro"), retoma uma das mais grandiosas produções já realizadas pela televisão brasileira.
Consta que a minissérie "O Tempo e o Vento" (Rede Globo, 1985) contava com mais de cem personagens, aproximadamente seis mil figurantes e que 60% de suas cenas foram externas. Recebeu o prêmio Coral Negro de Melhor Vídeo no Festival de Cinema e Vídeo de Havana (1986).
A trilha sonora da minissérie, composta por Tom Jobim, é um trunfo à parte. A música tema "O Tempo e o Vento" (Passarim), belíssima, contou com a participação de músicos do gabarito de Danilo Caymmi (flauta), Paulinho Jobim (violão e guitarra) e do próprio Tom, no piano e vocal.
As vozes do coro suave que entoa a canção de abertura são de Beth (filha) e Ana Jobim (esposa de Tom), de Paulinha e Miúcha (Grupo Céu da Boca) e Simone Caymmi ( mulher de Danilo). Para arrematar com chave de ouro, os arranjos da trilha ficaram a cargo de Dori Caymmi e Jacques Morelembaum.
Três gerações da família Terra Cambará contam a história das grandes batalhas políticas e soaciais travadas na formação do Estado do Rio Grande do Sul. Para quem é adepto da arte de uma boa, farta e rica leitura, sugiro embrenhar-se na trilogia de Érico Veríssimo: O Continente, O Retrato e O Arquipélago - que formam "O Tempo e o Vento"(Cia das Letras), abrangendo de forma apaixonada duzentos anos da história do extremo sul do país.
Diversas obras do autor foram levadas ao cinema e à televisão. "Olhai os Lírios do Campo" e a própria "O Tempo e o Vento" já foram adaptadas para telenovelas, com o mesmo nome. "O Resto é Silêncio", "Música ao Longe" e "Incidente em Antares" tornaram-se minisséries.
Na minissérie "O Tempo e o Vento", dentre um elenco tão numeroso, é impossível não destacar a atuação de Tarcísio Meira, que quase não aceitou o papel por considerar-se um tanto velho para viver valente e guapo Capitão Rodrigo. Os diretores o convenceram, e Tarcísio recebeu grandes elogios da crítica e do público pelo seu trabalho. José Lewgoy, Armando Bógus e Lílian Lemmertz também marcam presença com belas atuações.
A atriz Glória Pires está excelente na pele da valorosa Ana Terra. E vale também destacar a participação da brilhante atriz Lélia Abramo. Ela, que vive Bibiana Terra Cambará já nos últimos anos de vida, consegue um clima mágico em sua interpretação, envolvendo a personagem em muita força, poesia e sentimento.
"O Tempo e o Vento", a minissérie, que também foi lançada em DVD em 2005 (quando o escritor Érico Veríssimo completaria 100 anos de idade), foi adaptada por Doc Comparato, com a colaboração de Regina Braga. A direção geral é de Paulo José (que também participa como ator), com a supervisão de Daniel Filho. A direção de núcleo é de Ary Grandinetti Nogueira.
Para encerrar, deixo uma frase gaudéria atribuída ao Capitão Rodrigo em sua chegada em Santa Fé. "Ao apear do seu alazão na frente da venda do Nicolau, arrastando as esporas e batendo na coxa direita com o rebenque, foi logo gritando: "Buenas e me espalho! Nos pequenos dou de prancha e nos grandes dou de talho!". 

A minissérie baseada na obra do excelente escritor Érico Veríssimo (pai do também escritor Luis Fernando Veríssimo), volta à telinha. O Canal VIVA, que tem brindado o telespectador com grandes reprises (atualmente reapresenta também a novela "Roque Santeiro"), retoma uma das mais grandiosas produções já realizadas pela televisão brasileira.
Consta que a minissérie "O Tempo e o Vento" (Rede Globo, 1985) contava com mais de cem personagens, aproximadamente seis mil figurantes e que 60% de suas cenas foram externas. Recebeu o prêmio Coral Negro de Melhor Vídeo no Festival de Cinema e Vídeo de Havana (1986).
A trilha sonora da minissérie, composta por Tom Jobim, é um trunfo à parte. A música tema "O Tempo e o Vento" (Passarim), belíssima, contou com a participação de músicos do gabarito de Danilo Caymmi (flauta), Paulinho Jobim (violão e guitarra) e do próprio Tom, no piano e vocal.
As vozes do coro suave que entoa a canção de abertura são de Beth (filha) e Ana Jobim (esposa de Tom), de Paulinha e Miúcha (Grupo Céu da Boca) e Simone Caymmi ( mulher de Danilo). Para arrematar com chave de ouro, os arranjos da trilha ficaram a cargo de Dori Caymmi e Jacques Morelembaum.
Três gerações da família Terra Cambará contam a história das grandes batalhas políticas e soaciais travadas na formação do Estado do Rio Grande do Sul. Para quem é adepto da arte de uma boa, farta e rica leitura, sugiro embrenhar-se na trilogia de Érico Veríssimo: O Continente, O Retrato e O Arquipélago - que formam "O Tempo e o Vento"(Cia das Letras), abrangendo de forma apaixonada duzentos anos da história do extremo sul do país.
Diversas obras do autor foram levadas ao cinema e à televisão. "Olhai os Lírios do Campo" e a própria "O Tempo e o Vento" já foram adaptadas para telenovelas, com o mesmo nome. "O Resto é Silêncio", "Música ao Longe" e "Incidente em Antares" tornaram-se minisséries.
Na minissérie "O Tempo e o Vento", dentre um elenco tão numeroso, é impossível não destacar a atuação de Tarcísio Meira, que quase não aceitou o papel por considerar-se um tanto velho para viver valente e guapo Capitão Rodrigo. Os diretores o convenceram, e Tarcísio recebeu grandes elogios da crítica e do público pelo seu trabalho. José Lewgoy, Armando Bógus e Lílian Lemmertz também marcam presença com belas atuações.
A atriz Glória Pires está excelente na pele da valorosa Ana Terra. E vale também destacar a participação da brilhante atriz Lélia Abramo. Ela, que vive Bibiana Terra Cambará já nos últimos anos de vida, consegue um clima mágico em sua interpretação, envolvendo a personagem em muita força, poesia e sentimento.
"O Tempo e o Vento", a minissérie, que também foi lançada em DVD em 2005 (quando o escritor Érico Veríssimo completaria 100 anos de idade), foi adaptada por Doc Comparato, com a colaboração de Regina Braga. A direção geral é de Paulo José (que também participa como ator), com a supervisão de Daniel Filho. A direção de núcleo é de Ary Grandinetti Nogueira.
Para encerrar, deixo uma frase gaudéria atribuída ao Capitão Rodrigo em sua chegada em Santa Fé. "Ao apear do seu alazão na frente da venda do Nicolau, arrastando as esporas e batendo na coxa direita com o rebenque, foi logo gritando: "Buenas e me espalho! Nos pequenos dou de prancha e nos grandes dou de talho!".

Via F5

Nenhum comentário:

Postar um comentário